Musicoterapia no Tratamento da Dor

Alguns temas abordados na palestra que realizei no Dia Internacional de Atenção a Pessoa com Lúpus, na Assembléia Legislativa de São Paulo.

 

– Música age como estímulo que compete com a dor.

– Estudos de imagem mostram atividade no sistema límbico, em resposta à música.

– Ela reduz marcadores neuro-hormonais de stress.

– Interfere no ritmo da respiração, frequência cardíaca, pressão arterial, e tônus muscular.

Observe seu corpo, respiração, e estados de tensão ou relaxamento vendo e ouvindo esse vídeo que editei:

Vale lembrar que não há recetias de músicas, cada um de nós tem um gosto pessoal, uma história de vida composta por músicas muito particulares, e reagimos de forma diferente diante de diferentes ritmos.

Usada adequadamente, e com apoio de um musicoterapeuta, a música auxilia a diminuir a dor física, como também a ansiedade, contribui com o estado emocional até sua recuperação.

 

WORKSHOP MUSICOTERAPIA E SHANTALA PARA GESTANTES

A Musicoterapia permite à gestante comunicar-se com seu bebê desde a gestação. O útero é um universo sonoro, o feto percebe todos os sons do corpo da mãe, voz, batimentos cardíacos, pressão sanguínea, sistema digestório, sons da articulação, do caminhar etc., como também os sons externos e as músicas.

É um relacionar-se desde o pré-natal, com importantes informações de acalanto que são transmitidas.

A Shantala é um canal de comunicação, um diálogo corporal através da massagem, uma troca de amor, afeto, carinho e energia, que traz calma e segurança. Melhora a percepção corporal, promove relaxamento muscular, favorece o desenvolvimento físico, motor, neurológico, intelectual e social.

Mais informações clique em Eventos

Musicoterapia na doença de Alzheimer

Porque a Musicoterapia?

Depoimentos:

A esposa de um homem com demência grave, disse: “Quando fui encorajada por um musicoterapeuta para cantar para meu marido, que havia se perdido no nevoeiro da doença de Alzheimer por muitos anos, ele olhou para mim e parecia me reconhecer. No seu último dia de vida, ele abriu os olhos e olhou nos meus, quando eu cantava seu hino favorito. Eu sempre vou valorizar o último momento que nós compartilhamos juntos. A musicoterapia me deu esta lembrança, o presente que eu nunca me esquecerei. ” Continuar lendo